segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Meditação sobre o Malabares

Quem é do circo sabe o quanto se aprende quando nos reunimos com outros circenses pra treinar. Vou me ater nos malabares, que são minha principal área de atuação no circo atualmente. Nestes encontros, sempre tem alguém com algum truque novo pra ensinar ou uma dica de como executar algum movimento. Me lembro de quando estava começando a aprender a fazer malabarismo com claves e da dificuldade que eu tinha de jogar as 3 claves pra cima. Toda semana eu e alguns amigos nos reunimos para treinar malabares, em uma dessas reuniões, um amigo meu me deu uma dica de apoiar um dedo para jogar a clave para cima. Logo na primeira tentativa eu já percebi que havia sido melhor do que todas as outras tentativas que eu havia feito nos diversos dias que tentei manipular as claves. Incrível! Apenas uma pequena dica rompeu o que me impedia de conseguir fazer malabarismo com 3 claves – pouco depois disso, eu já conseguia controlar as 3 claves –, mas sem aquela dica, me parecia quase impossível, pois eu não conseguia jogar nem 1 clave direito... Da mesma forma, a Igreja é como um grupo que treina malabarismo. Posso ficar um tempão tentando fazer malabarismo sozinho, mas uma dica de alguém mais experiente é transformador. Por isso, ser um membro da Igreja não é uma obrigação, como muito supõe; é, ao contrário, uma ótima oportunidade de sermos edificados com as experiências que outros cristãos tiveram em sua caminhada Cristã. Aqueles que ouvem e se interessam em aprender com a experiencia dos outros, terão, com certeza, muito a ensinar também.
Por outro lado, como no malabares, a autoridade para ensinar depende da nossa prática, não da teoria. De fato, a teoria pode influenciar – e muito –, na prática, porém, o que define se temos ou não autoridade sobre algum assunto para verdadeiramente ajudarmos nossos irmãos, é se tivemos experiências ou não. É por isso que Jesus era diferente. Quando ele falava, todas as pessoas ficavam maravilhadas, “porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei” (Mateus 9: 29). Agora, pense que os mestres da lei tinha MUITA teoria pra compartilhar, mas pouquíssima experiência. Jesus, entretanto, foi “um homem de dores e experimentado no sofrimento” (Isaías 53: 3). Ele tinha autoridade pois teve experiência.

Começar a aprender um truque novo no malabarismo pode parecer muito difícil, mas não devemos desanimar com a dificuldade... Da mesma forma, superar alguma dor, mágoa, vício ou conceitos errados enraizados em nós pode parecer bem impossível, mas quando conhecemos alguém que passou por uma situação semelhante e venceu, nossa fé cresce e nos sentimos mais fortes.


Caminhe com eles! Ouça o que têm a dizer! Algum dia essa nossa dificuldade poderá ser um testemunho para aqueles que passarem pelos mesmos problemas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...