quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Simples como Jesus

Uma das mais marcantes pessoas que Deus usou para me atrair à buscá-lo, foi uma colega de turma do ensino médio. Não tinha nada de muito especial nela. Ela não era muito popular, não falava coisas engraçadas e nem era admirada por todas as pessoas da turma – pra falar a verdade, ela conversava com apenas 1/5 das pessoas da turma. Era uma aluna muito “normal”. Estudava, não colava, não gazeava aula e, apesar de não tirar as melhores notas da turma, tinha boas notas.
Essa menina era cristã e eu achava que não tinha nada a menos que ela nessa questão de religião, pois me dizia evangélico. Eu me sentia muito mais feliz e livre do que ela. Eu colava nas provas, gazeava aula, invadia a piscina do colégio... E eu era evangélico. Resumindo, eu considerava que eu tinha todas as vantagens celestiais de ser evangélico e também coragem para ter as “vantagens” de ser livre pra desrespeitar pessoas, desrespeitar ordens e desonrar autoridades. No fundo, eu considerava que ela não tinha coragem de fazer o que eu fazia.
Foi aí que, um dia, aquela menina apresentou uma dança em um trabalho de Educação Física e depois passou entregando uma panfleto pra cada pessoa da sala, convidando-os para aceitarem a Cristo. Foi incrível! Eu pensei comigo que, como cristão, eu não me sentia ousado o suficiente para fazer uma coisa dessas. Foi aí que eu percebi que por trás daquela menina humilde e silenciosa, havia uma cristã ousada e totalmente diferente que os demais evangélicos de 17 anos que eu conhecia. Desejei ardentemente ter àquilo que aquela menina tinha e depois de buscá-lo e dar alguns passos de obediência, fui tocado por Deus e minha vida nunca mais foi a mesma.

Essa atitude de humildade misturada com ousadia era claramente Jesus na vida daquela menina. Apocalipse 5 fala sobre isso.
No verso 2 e 3, um anjo fala sobre o livro que ninguém é capaz de abrir. Isso mesmo, NINGUÉM. Era o fim! Ninguém era digno de abrir aquele livro. Nem mesmo o mais bondoso da terra, nem os padres, pastores, monges, rabinos ou o papa. Aí no verso 4 João estava chorando muito, pois ninguém era digno de sequer olhar para o livro. Mas no verso 5 um cara chega e diz pra ele não chorar mais, pois teve alguém que venceu para finalmente abrir o livro, este é o Leão da tribo de Judá! Absolutamente ninguém era capaz de abrir o livro, a não ser o Leão. Ninguém foi tão longe quanto ele. Eu não sei vocês, mas lendo esse texto, eu imagino um baita leão forte e poderoso. Tipo um Aslam. Poderoso, ousado, grande e destemido.
O mais incrível e emocionante, é que no verso 6, João diz que o que ele viu não era o leão grande, forte... que eu imaginei. Ele viu um cordeiro.
Talvez nem todos os que vivem em cidades tem muita noção de cordeiros. Quando eu era criança, morei com minha família por alguns meses numa chácara. Havia cerca de 10 ovelhas lá. Houve um tempo, em que alguns cães começaram a entrar na chácara e matar algumas ovelhas, até que não sobrou mais nenhuma. Lembro-me de uma ovelha bem machucada pelos cães, que nem conseguia andar e meu pai tinha que sacrificá-la. Ele não me deixou ir junto, mas eu lembro dos momentos finais dela. Ela estava bem quieta. Apesar de estar toda destruída e a ponto de morrer, não fazia barulho e nem parecia assustada. Assim é um cordeiro. E Isaías 53:7, fala sobre Jesus assim: “Ele foi oprimido e afligido; e, contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a boca.”

Isso é impactante. Embora Jesus tenha atitudes de leão (ousadia). Quando olhamos para ele, vemos a aparência de cordeiro (humildade). Jesus é o maior exemplo de ousadia e, ao mesmo tempo, o maior exemplo de humildade. Isso é o que significa ser simples!

Conheci poucas pessoas nessa vida que agiam dessa forma. E penso que nada é tão impactante do que ver uma pessoa humilde, que por vezes é considerada fraca e sem coragem, mas que está pronta para ser usada por Deus com ousadia. Tais pessoas entenderam o que está escrito em Salmos 115:1

“Não a nós, Senhor, nenhuma glória a nós, mas sim ao teu nome, por teu amor e por tua fidelidade!”

Quero ficar invisível quando todos quiserem aparecer e dar um passo a frente quando todos quiserem ser apenas espectadores.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...