segunda-feira, 10 de junho de 2013

Amor Fraternal

Nessa últimas semanas, Deus tem falado comigo sobre a grande importância na profundidade dos relacionamentos entre as pessoas da Igreja de Jesus. Tenho orado sobre isso para a Igreja, pois acredito que entendi que não precisamos apenas de pessoas cheias do Espírito Santo ministrando - não que isso seja ruim -, mas precisamos dar valor a vida das pessoas que congregam conosco! Confirmando isso, num evento chamado Desperta, que aconteceu na Comunidade Alcance, onde frequento, Deus falou de uma forma muito forte sobre UNIDADE com todos os jovens da Alcance que formavam o grupo de organização do evento! Oramos sobre isso em todos os momentos de intercessão e os nossos pastores comentaram da necessidade de estarmos mais juntos. Acredito que Deus está trazendo à tona essa questão, pois muitas reuniões da Igreja - principalmente nas reuniões de grandes denominações -, as pessoas passam muito tempo entrando e saindo sem ter nenhum relacionamento profundo com as pessoas que lá estão. O único relacionamento entre os crentes tem sido o cumprimento que o pastor pede para fazer para a pessoa do lado! Acredito que Deus tem mostrado que nossos relacionamentos não podem se limitar às "obrigações ministeriais". Isto está muito errado. Não há outra razão para congregar se não ter comunhão com a Igreja, isto é, com as pessoas. Ouvir pregação, cantar louvor e orar é benção pura, mas não precisamos nos reunir como Igreja pra isso.

"Eu não demonstro meu amor por Deus quando vou a igreja, demonstro meu amor por Deus quando amo meu próximo" (Landa Cope)

É maravilhoso nos reunirmos para evangelizar, mas é terrível pensar que nos interessamos e amamos os perdidos de fora, mas não sabemos e nem nos interessamos sobre o crente que está evangelizando ao nosso lado. É maravilhoso marcarmos uma vigília com o povo da Igreja, mas é terrível pensar que estamos fazendo isso sozinhos. Deus deseja curar as pessoas ao seu redor e Ele quer TE usar pra isso!

"Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia seu companheiro" (Provérbios 27:17)

Esse dias eu estava meditando em João 8, no texto em que os fariseus levam uma prostituta à presença de Jesus. Geralmente os filmes e peças de teatro mostram a prostituta como uma mulher humilhada, quieta, de cabeça baixa. Da até pena dela. Mas, pensando bem, acredito que nossos sentimentos tendem a ser mais parecidos com os dos fariseus do que com os de Cristo. Imagino que a prostituta era daquele tipo de pessoa que ninguém sente pena ou compaixão, aquele tipo de pessoa que ninguém gosta de estar perto, que não tem nada a acrescentar em nossas vidas. Talvez ela estivesse gritando, cuspindo e falando palavrão. Talvez a posição dela não era de humildade, mas de arrogância e raiva contra todos, inclusive Jesus. E foi esse tipo de pessoa que Jesus não condenou e aceitou andar junto. Nem sempre Deus manda as pessoas mais legais e interessantes para nós. Mas parece que só estamos dispostos a andar juntos com quem pode nos acrescentar algo. Isto é não o que Jesus fazia! Isso não é o que Jesus FARIA!

Creio que precisamos nos interessar mais pelas pessoas ao nosso redor. Ainda que falem besteira, ainda que sejam hipócritas, ainda que desviem o olhar quando passam por nós... Deus tem me mostrado que preciso decidir e desejar receber um batismo de amor fraternal por elas.

Entendo que Deus deseja que as pessoas que formam a Igreja de Cristo, se envolvam umas com as outras. Temos que decidir e desejar esse amor fraternal por nossos irmãos. É nessa profundidade de relacionamento que a gente deseja consolar os que se sentem tristes, aconselhar quem está em dúvida, testemunhar, orar junto, curar... tudo isso vêm por amor. Aí não iremos mais buscar essas coisas por amor ao nosso ministério, mas por amor àqueles que estão ao nosso lado.

Deus tem posto uma oração na minha boca para a Igreja de Jesus e eu te convido a orar comigo sobre isso:

"Deus, batiza-nos com um amor fraternal. Precisamos de um batismo de amor fraternal."

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...