sábado, 22 de dezembro de 2012

O Amor Verdadeiro

22 de Dezembro de 2009
Cidade: Ouarzazate
País: Marrocos

O Natal é um tempo diferente de qualquer outro do ano, é muito difícil pensar num Natal sem felicidade e amor. Normalmente é nessa data que as pessoas esquecem as brigas, fazem as pazes, passam tempo juntas e amam umas as outras.

Nesse tempo em que estou aqui na África meu Pai tem me ensinado muito sobre o amor ao próximo. Eu pude ver que o meu falso amor pelas pessoas era completamente interesseiro, eu realmente percebi como é difícil amar alguém quando não se é amado de volta, ou como é complicado se importar com os outros quando ninguém se importa contigo; eu percebi como é difícil obedecer ao segundo maior mandamento de Deus, o de amar ao próximo. Mas que bom que enquanto estamos vivos nunca é tarde para se arrepender e pedir perdão. Agora, todos os dias Ele tem me ensinado e ajudado a abandonar o meu falso amor pelos outros e a começar a amar com o VERDADEIRO amor. O amor paciente que tudo sofre e tudo suporta. O amor que não depende da outra pessoa ou do que ela pode te oferecer, o amor eterno que não acaba depois de um momento de alegria como o Natal! É isso que eu quero viver e desejar na vida de vocês, muito mais do que um Natal cheio de amor, mas uma VIDA INTEIRA cheia do verdadeiro amor do Pai. O amor é uma escolha, então precisamos escolher amar TODAS as pessoas a cada novo dia, e não esperar que o amor surja do nada.

É com muito amor e saudade que escrevo esta carta para vocês. Fiquem na paz e
FELIZ NATAL.

Eduardo Carniel

domingo, 2 de dezembro de 2012

Baseado no amor

Bom, antes de começar a falar sobre namoro, acredito que muita gente irá ler esse post e não irá concordar com o que vou dizer aqui. Mas tudo bem, não quero provar nada, só dar minha opinião.

“Recicle garrafas, não garotas. Por que usar tantas e tantas vezes?”

Quando eu ainda não tinha um relacionamento com Jesus, eu, como qualquer menino adolescente, desejei começar a namorar. Nem sempre eu tive sucesso com as meninas, mas como dizia a música, “não era belo, mas mesmo assim, havia mil garotas afim”. Quando namorava era assim: Por um tempo era bom, depois de um tempo perdia a graça para um dos dois e aí o namoro acabava. Aí era partir para outro relacionamento com uma outra pessoa. Pensando bem, na verdade isso acontece não só com os adolescentes, mas com qualquer idade; e não apenas fora da igreja, dentro dela também! Talvez dentro da igreja isso ocorra de uma forma mais camuflada, de uma forma mais “evangélica”, mas é a mesma coisa. Acredito que Deus tem me ensinado que preciso ter a intenção correta para começar um relacionamento. Mas qual é a intenção correta? É o amor! Ah, isso todo mundo sabe. Será?
Na minha opinião, a intenção que a maioria dos jovens e adolescentes tem tido para começar alguma coisa, normalmente tem sido o egoísmo. Vou tentar ser mais claro. Todos nós temos um vazio, e isso nos gera uma carência. Essa carência me faz desejar ter alguém ou alguma coisa para supri-la. O problema é que muito facilmente eu acabo tentando suprir minha carência com outras coisa além de Jesus. Jesus não supre só nossa carência espiritual, mas também a carência sentimental, afetiva, emocional, etc. Só Jesus pode suprir completamente minha carência! Não significa que eu deva aceitar que Jesus supra minha carência e depois viverei solteiro para sempre. Mas penso que o maior erro é que a maior parte das pessoas buscam um(a) namorado(a) com a intenção de suprir sua própria carência; aí quando seu namorado(a) perde a graça e não supre mais aquela carência, o namoro/casamento acaba. E como dizem: “O amor acabou...”
Acredito que o relacionamento amoroso com outra pessoa é um compromisso sério e foi criado por Deus para que um sirva o outro, não para que um sugue o outro. Se eu continuar carente nunca terei condições de amar minha namorada/noiva/esposa. Por isso acredito que preciso suprir minha carência em Deus. A oração, “Deus, eu PRECISO de uma namorada” não deveria existir! Eu preciso de Deus! Só dele e pronto! Se eu tivesse uma filha, eu não entregaria ela a qualquer mané que quisesse usá-la para saciar sua vontade de ser abraçado e beijado; mas entregaria para um rapaz que eu soubesse que iria fazer bem para minha filha e estivesse disposto a amá-la mesmo se ela não tivesse muito a oferecer nem como retribuir. Da mesma forma, se eu digo estar esperando em Deus minha futura namorada, mas continuar carente e orando desesperado para que Deus me envie uma menina o mais rápido possível, estou mentindo e Ele provavelmente não enviará. Primeiro Ele irá tratar minha carência, aí só quando eu tiver condições de entrar num relacionamento para verdadeiramente amar àquela menina sem esperar receber nada dela, aí Deus confirmará Sua vontade de me entregar a filha dele.

A escolha é minha:
1º - Ou eu mesmo arranjo uma namorada/esposa e vejo no que vai dar;
2º - Ou decido confiar em Deus, passar por cada ensino dele, esperar até Ele confirmar Sua vontade e viver um casamento eterno baseado no amor - acreditando que a Bíblia não mente quando diz, “O amor nunca acaba” (1Co 13:8).


Desde 2009 eu tenho experimentado como vale a pena confiar em Deus. Sendo assim, ainda que seja o caminho mais difícil e aparentemente “chato”, eu fico com a segunda opção.

“É fácil ficar pulando de um relacionamento superficial para outro, satisfazendo nossos desejos egoístas. Contudo, é preciso ser um homem de verdade para manter uma mulher satisfeita por toda a vida.” (Eric Ludy)

“Se nossos jovens buscassem Jesus da mesma forma que buscam uma namorada ou namorado teríamos avivamento.” (Gregorio Mcnutt)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...