quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Sobrevivente de um aborto - Gianna Jessen

Gianna Jessen sobreviveu milagrosamente a um aborto por envenenamento salino. Neste discurso na Austrália, Gianna fala contra o aborto baseada no seu testemunho pessoal.



quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Guiné-Bissau

ÍNDICE
- O País
- História
- Povos
- Igreja
- Oportunidade Missionária
- Ore
- Informações (valores aproximados)


O País
A República da Guiné-Bissau fica situada no oeste da África. Verificam-se duas estações climáticas, uma seca que vai de novembro a abril e outra de chuva que se estende de maio a outubro. O idioma oficial é o português, porém o idioma mais falado no país é o crioulo. Outros dialetos são falados pelas diversas tribos diferentes no país, como manjaco, fula, mandinga, balanta, pepel, mancanha...
O islamismo e o animismo são muito fortes em Guiné-Bissau e tem muito mais seguidores do que o cristianismo. No Arquipélago de Bijagós o animismo é tão forte que mesmo que alguns se convertam ao Cristianismo, ainda assim continuam com as práticas animistas; é como se fizesse parte da cultura deles.


Choque Cultural
- Guiné-Bissau é um país sem luz. As poucas residências com eletricidade são sustentadas por geradores à gasolina. Menos de 1% dos guineenses tem acesso a energia elétrica.
- Viajar para a Guiné-Bissau, como para quase toda parte na África, exige um grande número de vacinações e cuidados. Leve medicamento anti-malária e procure não beber qualquer água. É bom consultar um médico antes de viajar.
- A comida não é muito diversificada. Normalmente come-se arroz e algum acompanhamento que pode ser peixe, frango, porco... Não espere ter ser próprio prato, geralmente todos comem no mesmo prato grande. Esteja pronto para comer sem talheres também.
- Se você for branco, não se ofenda se alguém vier chama-lo de branco pelelé. Talvez digam isso para provoca-lo, mas tente mostrar Jesus a eles. E ainda que queiram te ofender sem motivos, haja com humildade para com eles.

.
História
No século XV os navios portugueses começaram a explorar a costa oeste africana e por volta do ano de 1450 chegaram na região que um dia seria Guiné-Bissau. Os portugueses logo estavam embarcando ouro, sal e sobretudo escravos. Quando o mercado de escravos entrou em queda no séc. XIX, os portugueses precisavam tomar o controle do interior de Guiné-Bissau se quisessem continuar explorando a região. O resultado foi o regime colonial mais repressivo e explorador que a África já teve, particularmente acentuado quando o braço direito do ditador Antonio de Oliveira Salazar chegou ao poder em Portugal, no ano de 1926.
Amilcar Cabral (1924 - 1973)
No início de 1960 países africanos começaram a ganhar independência, mas Salazar se recusou a abandonar suas colônias africanas, resultando no mais longo período de libertação da história africana. O movimento de independência foi liderado por Amilcar Cabral, que em 1956 ajudou a fundar o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Em 1961, a PAIGC começou a se armar e a mobilizar camponeses, e em cinco anos as tropas da independência já haviam tomado controle da metade do país. Até mesmo o assassinato de Amilcar Cabral, em 1973, não foi suficiente para parar o movimento de independência. A PAIGC organizou uma eleição nas áreas que tinham sido libertas de Portugal e proclamou independência, com o meio-irmão de Amilcar Cabral, Luís Cabral, como presidente.

Governo instável
Politicamente, a PAIGC queria a unificação de Guiné-Bissau e Cabo Verde. Entretanto, essa ideia morreu em 1980, quando o presidente Luís Cabral sofreu um golpe de estado enquanto estava visitando Cabo Verde para negociar a união. João Vieira tomou a presidência do país desde então. Em 1998 o general Ansumane Mane iniciou um golpe de estado, ajudado pelo exército e pelo grupo de movimento separatista do Senegal. Em maio de 1999, a junta militar, liderada pelo general Ansumane, conquistou toda Bissau e escoltou Vieira para a embaixada de Portugal. Em janeiro de 2000, Koumba Yala foi escolhido como o novo presidente. Yala enfrentou problemas com alguns setores do governo, como grupos civis e a mídia. Em setembro de 2003, o general Veríssimo Seabra tomou o lugar do errante Yala na presidência. Mas em outubro de 2004, Seabra foi assassinado por uma facção de soldados.
Apesar do medo das facções e da violência, as eleições foram feitas e o sucessor escolhido foi João Vieira, que tinha retornado do exílio em Portugal. Nesse tempo Guiné-Bissau encontrou um outro inimigo: As drogas. Em três anos do mandato de Vieira o país se tornou o principal portal para carregamento de drogas da América do Sul e da Europa no oeste africano. Com a grande presença de drogas e a crescente rixa do presidente com os militares, Guiné-Bissau não encontrou a paz que desejava. No dia primeiro de março de 2009 o general Batista Tagme foi assassinado, supostamente por ordens do próprio presidente Vieira. No dia seguinte, Vieira foi cruelmente assassinado, no que pode ter sido um ato de revanche dos militares.

Povos
Fulas: O Islamismo foi a religião adotada pelos Fulas no início do século XII, e eles se tornaram um dos grandes responsáveis pela expansão do islamismo na África oeste. Os Fulas também são conhecidos pela cerimônia de iniciação, aonde os jovens meninos são chicoteados com grandes varas como parte da cerimônia de passagem para a fase adulta. A maior parte da população Fula de Guiné-Bissau está localizada entre o nordeste e sul do país.
Mandingas: Há muitos séculos atrás o povo Mandinga deixou o Mali, que era a sua terra natal, em busca de terras melhores. Eventualmente eles se instalaram na Gâmbia e em países vizinhos. Os mandingas eram animistas, mas os comerciantes que passavam por suas aldeias converteram muitos deles ao islamismo. Atualmente cerca de 99% do povo mandinga se diz muçulmano, porém muitos deles continuam a praticar os seus rituais animistas tradicionais e misturam a religião Islâmica com as crenças tribais. Durante os séculos XVI, XVII e XVIII, cerca de um terço da população mandinga foi embarcada para a América como escravos, após a captura em conflitos.
Assim como os Fulas, os Mandingas também são encontrados mais frequentemente entre as regiões nordeste e sul de Guiné-Bissau.
Menino Bijagó com marcas dos rituais animistas
Bijagós: Os Bijagós são a principal etnia que povoa o Arquipélago dos Bijagós, ao oeste de Guiné-Bissau, composto por 88 ilhas e ilhéus. O modo de vida tradicional dos Bijagós é baseado numa economia de subsistência onde o conjunto dos recursos naturais do território é aproveitado de forma diversificada.
Os Bijagós são um povo animista. A passagem de um grupo de idade para outro é feito através de rituais de iniciação em lugares sagrados afastados das aldeias.
Balantas: O maior grupo étnico de Guiné-Bissau são os Balantas, aproximadamente 30% da população. São largamente animistas na sua crença. Na sociedade Balanta, acredita-se que Deus está muito longe. Os fieis tentam alcançá-lo através de sacrifícios a espíritos. Apesar do catolicismo ser parcialmente aceito, o islamismo é forte e praticado juntamente com a veneração espiritualista.
Hoje, os balantas encontram-se principalmente ao litoral, nas regiões sul e centro da Guiné-Bissau.
Papel: Os papéis são uma etnia originária de Guiné-Bissau. Representam atualmente 7% do total da população guineense. O mais conhecido elemento pertencente a este grupo étnico foi o ex-presidente de Guiné-Bissau, João Vieira. Os membros deste grupo falam a língua papel. Estão localizados a oeste do país, incluindo a capital Bissau.
Manjacos: Atualmente a maioria dos habitantes da região de Cacheu, a norte de Bissau, são da etnia Manjaca. São aproximadamente 14% da população total de Guiné-Bissau.
Mauritanos: É possível encontrar barracas de mauritanos em várias partes de Guiné-Bissau. Provavelmente tenham migrado para lá a procura de emprego. Geralmente trabalham em pequenos comércios, onde vendem alimentos e utensílios domésticos. São muçulmanos fiéis e de difícil abertura para o cristianismo. Contudo, é uma grande oportunidade evangeliza-los em Guiné-Bissau, pois na Mauritânia missionários cristãos sofrem grande perseguição.


Igreja
Menos de 10% da população de Guiné-Bissau é cristã. Em alguns lugares as igrejas são divididas por etnias diferentes e não fazem muitos trabalhos conjuntos, contudo há também lugares em que as igrejas de diferentes denominações são mais unidas. As igrejas em Guiné-Bissau normalmente precisam de muita ajuda financeira e principalmente de obreiros. Todo o trabalho social que as igrejas fazem ainda é pouquíssimo, comparado à necessidade existente no país. A maioria das igrejas são lideradas por estrangeiros, quase sempre brasileiros. Isso é tão forte lá que existem alguns lugares onde ainda que existam guineenses cristãos, não podem manter uma igreja sozinhos, pois sentem que precisam de um estrangeiro para lidera-los. Normalmente, os mesmo missionários que lideram as igrejas também tem projetos ligados a educação e a saúde. A igreja de Guiné-Bissau ainda é muito pequena, mas tem crescido ano após ano.

Oportunidade Missionária
Em grande parte de Guiné-Bissau as pessoas vivem em situações precárias, com pouca comida, sem água tratada, em contato com várias doenças... Esta situação, apesar de muito triste, é uma grande oportunidade de levar o Amor de Jesus aos guineenses.
Vou postar aqui alguns ministérios que existem no Senegal e que precisam muito de ajuda. Se puder, ore por esses missionários e missões citados aqui, mas também faça essa pergunta a você mesmo: “Estou disposto a servir a Deus no Senegal?”. Se a resposta for sim, busque confirmação de Deus. Se ele confirmar, se prepare para ir! Há muitas almas precisando da Verdade no Senegal, se por acaso Deus quer usa-lo para salva-las, por favor, não fuja desse chamado.

Jovens para Cristo / Instituto Canzion
O Centro Jovens para Cristo fica em Bissau, que é a capital de Guiné-Bissau. Tem como objetivo capacitar jovens guineenses através da educação e do conhecimento de Deus. Existem cursos de inglês, francês, informática, música (Instituto Canzion) e seminário teológico. O Instituto Canzion está inserido dentro do Centro Jovens para Cristo, e oferece um curso com uma aula semanal e individual de instrumentos como violão, baixo, teclado e bateria; e outra aula semanal de ministração. O curso dura 2 anos e tem um custo de $25000 CFA por semestre (aproximadamente $100,00 Reais).
Como ajudar?
As pessoas interessadas em servir no Centro Jovens para Cristo necessitam de formação para poder dar aulas nos cursos. A hospedagem custa $5000 CFA por dia (aprox. $20,00 Reais).
Dificuldades: O Centro enfrenta dificuldades com relação ao número de desistências dos cursos pela questão financeira dos alunos e pelo nível didático da escola ser muito acima do que muitos guineenses estão acostumados.

Contato Instituto Canzion Guiné-Bissau:
misael_arnoldo@hotmail.com
http://www.institutocanzion.com/africa/#

Casa Emanuel
Isabel é a fundadora da Casa Emanuel. O trabalho começou em 1995 com foco de implantação de igrejas. Agora trabalham com escola, orfanato e posto de saúde; todas essas áreas fazem parte da Casa Emanuel.
Escola Emanuel
Escola Emanuel: É uma escola bem estruturada, com salas de informática, biblioteca, ginásio de esportes e salas em ótimo estado. A escola é aberta para pessoas da comunidade; vai da pré-escola até a 8° série. A mensalidade está entre $7000 e $10000 CFA por mês.
Para trabalhar como professor é preciso ter alguma formação acadêmica.
Orfanato: Há cerca de 140 crianças no orfanato. Essas crianças estudam na escola Emanuel e podem ficar no orfanato até os 18 anos.
Existe grande necessidade de obreiros para o orfanato. Várias casas estão feitas para abrigar missionários voluntários que forem trabalhar no orfanato. O custo mensal para viver na Casa Emanuel está em torno de $800 dólares por pessoa.
Posto de saúde: Há no posto de saúde odontologia, sala de cirurgia e outras diversas coisas, tudo muito bem estruturado.
O Posto de saúde da Casa Emanuel também tem necessidade de profissionais. Para ser voluntário é preciso ter certa experiência ou formação na área de atuação.

Contato Casa Emanuel:
casaemanuel@hotmail.com
info@casaemanuel.org
Tel. 00245/6672110 (Espanhol)
00245/5396050 (Português)
http://www.casaemanuel.org/

JOCUM (Jovens Com Uma Missão)
A base: A base da JOCUM de Guiné-Bissau fica localizada em uma cidade chamada Gabú. Contam com cursos como, Escola de Treinamento e Discipulado e Escola de intercessão.
A JOCUM serve a comunidade de Gabú com uma escola, um posto de saúde e um centro de nutrição para bebês.
Escola: A escola fica ao lado da base, vai da pré-escola até o ensino médio. Necessita de missionários, com ou sem formação superior, dispostos a servir como professores ou em outras áreas da escola. Vários professores não tem qualquer formação superior.
Saúde: A JOCUM Gabú conta com uma enfermaria, uma sala odontológica e um centro de nutrição. Pessoas dispostas a servir no posto de saúde da JOCUM precisam de formação superior na área de atuação. Contudo, no centro de nutrição, é preciso apenas disposição para servir.

Contato JOCUM Gabú:
judybyers2@hotmail.com
Caixa Postal 169
Bissau - GUINÉ-BISSAU
Tel. 00245/6659519

Missionários no Arquipélago dos Bijagós
Jorge e Socorro são missionários da JOCUM enviados ao Arquipélago dos Bijagós, a sudeste de Guiné-Bissau. Na ilha de Caravela ergueram um posto de saúde e uma escola da JOCUM.
Escola: É a única escola da ilha toda. Aproximadamente seis, dos nove vilarejos da ilha, são alcançados pela escola. Os alunos estudam de graça e o ensino vai até a 4° série do ensino fundamental. Faltam professores na escola. Missionários dispostos a servir não precisam de formação superior; sendo cristão e tendo completado o ensino médio já é o suficiente.
Posto de saúde: O posto de saúde serve a comunidade de Caravela. Não é preciso formação superior para servir na área da saúde em Caravela, apenas conhecimento básico de enfermagem e disposição para servir.
Jorge e Socorro enfrentam muitas dificuldades tanto financeiras quando físicas. A única forma de arranjarem comida é indo para o continente e fazendo estoques; essas viagens muitas vezes são perigosas, tendo em vista que o meio de transporte é um barco pequeno. Na questão financeira também necessitam de ajuda para por em prática os planejamentos. Sobre tudo, a maior necessidade ainda é a falta de obreiros.

Contato Jorge e Socorro:
jorge_soso17@hotmail.com
sosoguine@yahoo.com
Caixa Postal - 169
Bissau - GUINÉ-BISSAU
Ajuda financeira:
B. Brasil - C/C 16.269-8 - AG. 3106-2
Maria Socorro B. Souza Ocossobo

Informações (valores aproximados)
Dados de 2010.
Moeda de Guiné-Bissau:
Franco CFA.
$1 Euro = $674,1CFA
$1 Dólar = $561,6CFA
Moradia
Aluguel em Dakar (casa simples): $100000 CFA/mês
Painel solar: (30W) $100000 CFA; (180W) $300000 CFA
Gerador à gasolina: $200000 CFA
Gasolina: (1Litro) $750 CFA
Geladeira a gás: $640000 CFA e gasta em média 2 butijões por mês
Gás: (6Kg) $10000 CFA
Fogão: $150000 CFA
Alimentação:
Restaurante: $5000 CFA/pessoa
Transporte:
É aconselhável ter um carro alto em Guiné-Bissau por causa das péssimas condições das estradas.
Caminhonete (SangYong): $10000000 CFA
Caminhonete (Hilux): 14000000 CFA
Taxi: Aeroporto - Centro: $5000 CFA
Centro - Bairro de Ajuda: $400 CFA
Qualquer parte dentro da cidade: $250 CFA
Tocatoca: $125 CFA para qualquer parte da cidade
7-place: É um carro transformado para transportar 7 passageiros mais o motorista. É muito usado no Senegal para viajar de uma cidade à outra. O preço não é fixo, é preciso combinar o valor. De preferência peça que algum guineense de confiança combinar o preço para você, pois estrangeiros normalmente acabam pagando valores mais altos. A viajem também não é lá muito confortável. Viagens como de Bissau para Gabú custam em torno de $2800 CFA
Navio (Bissau - Bubaque): De $3500 a $7500 CFA
Comunicação:
Internet (lanhouse): $750 CFA à hora.
Internet (antena): $35000 CFA/mês
Chip para celular: $2500 CFA

domingo, 20 de fevereiro de 2011

O Evangelho da dor

Muitas vezes já me peguei lutando para manter as aparências de bem-estar para outras pessoas. Mas pensando bem, isso é besteira. Ser cristão não significa ter que estar sorrindo 24 horas por dia e todos os dias da semana; claro que estar feliz é legal, mas, na minha opinião, ser cristão significa lutar contra a própria vontade e a favor da vontade de Deus, humilhar-se e reconhecer que só Deus sabe quais são as decisões certas para cada um. Puxa, não tem tanto a ver com benção e prosperidade, mas sim com sofrimento e lágrimas. Renunciar a própria vontade e o direito de dirigir a própria vida é muito difícil, dói pra caramba e ainda exige confiança total em Deus. Se você estiver disposto a confiar totalmente em Deus, precisa também estar disposto a sofrer, pois no momento de crise tudo em você vai pedir a sua vontade e cabe a VOCÊ decidir ser fiel a Deus ou não.
Eu me lembro que no primeiro dia do ano eu fantasiei tudo que eu esperava que acontecesse. O fato é que muita coisa que eu desejei não aconteceu... A principio eu me entristeci, mas depois me lembrei que um dia eu entreguei minha vida nas mãos de Deus. "Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si. Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor." (Rm 14:7-8). Percebi que se meus planos não forem frustrados, os planos de Deus nunca acontecerão na minha vida.
Você leitor, comece a confiar verdadeiramente sua vida nas mãos de Deus e não tenha medo do sofrimento, pois ele certamente virá, mas precisamos entender que, quando um filho de Deus sofre, isso ocorre porque o Senhor permite, para nos moldar e não porque Ele esqueceu de nós. Deus nunca se esquece de nós.

"Nosso amadurecimento como cristãos depende grandemente de nossa atitude diante do sofrimento. O Reino de Deus avança através do sofrimento." (Irmão Yun)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...