terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Keith Green

Keith Green não nasceu num lar cristão; seu talento músical o levou naturalmente para o mundo artístico. Em Fevereiro de 1965, contando apenas com 12 anos de idade, já dispunha de quarenta canções originais sob sua carreira. Green então assinou um contrato de cinco anos com a Decca Records, uma das maiores gravadoras do mundo, comprada depois pela Polygran. Entre seus artista a Decca tinha nomes como: Louis Armstrong, Elvis Presley, Rolling Stones e George Harrison. A Decca Records havia planejado fazer de Green um ídolo teen. No entanto, Deus tinha outros planos para ele e a fama não conseguiu se materializar. Um jovem cantor chamado Donny Osmond captou a atenção dos pré-adolescentes e adolescentes e Keith foi rapidamente esquecido pelo público.

Keith tinha 15 anos a primeira vez que ele fugiu de casa. Ele começou um diário no mesmo dia e durante anos, enquanto ele procurava por uma aventura musical e pela verdade espiritual, escreveu a sua viagem. Keith tinha uma formação judaica, mas cresceu lendo o Novo Testamento. Ele chamou de "uma combinação confusa", que o deixou profundamente insatisfeitos. Sua jornada o levou ao estilo hippie, envolvendo-se com drogas, misticismo oriental, e do amor livre.
Depois de experimentar o que descreveu como uma “bad trip”(má viagem), ele abandonou o consumo de drogas e se tornou avesso a filosofia e a teologia de um modo geral. Green viria a afirmar, no entanto, que, no meio de seu ceticismo, ele sentiu que Deus “furou os calos do seu coração”, e ele entregou-se a Cristo nascendo de novo. Logo depois sua esposa Melody Green também se entregou a Cristo.

Não só a vida Keith deu uma virada radical, mas todas as suas músicas também mudaram. Sua busca pelo estrelato tinha terminado. E agora suas canções refletiam a emoção absoluta de encontrar Jesus e consideravam sua própria vida completamente transformada. A intensidade espiritual de Keith o levou além da zona de conforto que a da maioria das pessoas vivem. Green estava sempre orando, pedindo ao Espírito Santo, "Por favor, mude o meu coração, e convence-me do meu pecado." E quando ele foi convencido, ele entrou em ação. Se ele precisava se arrepender, ele se arrependia. Se ele precisava telefonar a alguém para pedir perdão, ele ligava.
Keith pregava com ousadia, chamando os fiéis para acordar, se arrepender e viver a vida que eles diziam que acreditavam. Keith sentia que teria conhecido antes a Jesus, se os cristãos não levassem uma vida dupla. Ele fez o público se contorcer, dizendo: "Se você louva e adora a Jesus com sua boca, e sua vida não é louvar e adorar a Ele, há algo de errado!"

Keith e Melody Green
Em 1975, o casal Green iniciaram um programa de evangelização nos subúrbios de Los Angeles, Califórnia, em San Fernando Valley. Rapidamente sua pequena casa no subúrbio estava superlotada de prostitutas, tóxico-dependentes e sem-teto que recebiam além do evangelho, atenção e cuidados. A comunidade de novos crentes foi crescendo rapidamente, pessoas foram continuamente se posicionando para o batismo e definindo suas vidas para servir o Senhor. Logo tiveram que adquirir uma casa vizinha à sua própria e alugaram mais cinco no mesmo bairro, para grande consternação dos seus vizinhos. O ministério de Keith Green foi largamente influenciado por um grande pregador da época, Leonard Ravenhill, que possui um de seus livros publicados aqui no Brasil chamado, “Por que tarda o pleno Avivamento?”.

Keith Green faleceu em 28 julho de 1982, quando o avião alugado pelo ministério caiu após decolar da pista privada localizada na sede da missão. O pequeno avião de dois motores estava transportando onze passageiros para um passeio aéreo pela região da propriedade. O acidente também tirou a vida de dois de seus filhos: Josias, com 3 anos de idade, e Betânia, com 2 anos. Melody estava em casa com sua filha de 1 ano Rebeca, e grávida de seis semanas com a quarta filha de Keith, Rachel. Keith tinha apenas 28 anos de idade.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Não apaguem o Espírito

Eu achei muito valioso esse assunto, então decidi posta-lo aqui no blog.
Acredito que o Espírito me mostrou o quanto ainda sou limitado; me mostrou que há uma liberdade maior do que a que eu tenho vivido. Muitas vezes quando toco no louvor, percebo que as pessoas (inclusive eu), se entregam mais intensamente conforme a intensidade da música ou conforme a maioria das pessoas estejam se entregando. Não acho que isso seja uma hipocrisia da nossa parte, talvez nós realmente nos sintamos mais livres para gritar ou erguer os braços quando o som do louvor aumenta. Mas isso não é ser livre; isso é ser influenciado. Somos influenciados a louvar a Deus e a expressar nosso amor a Ele, mas quando a influência acaba, nos também paramos. Abrimos os olhos e abaixamos nossos braços. Zelando pela formalidade no templo.
No geral, acho que nós (de origem europeia, sulistas, curitibanos...), temos dificuldade em nos expor. Não gostamos de falar alto, nem de dançar e nem de mostrar que precisamos de outras pessoas. Gostamos de ficar na nossa! Por muito tempo insisti que essa era a minha cultura e que não havia nada de errado nisso. De fato, Deus é quem criou todas as culturas e suas belezas, mas não significa que, por Deus tê-las criado perfeitas, elas tenham permanecido imutáveis até hoje. Jesus morreu para que eu seja LIVRE. Se a minha cultura me impede de ser livre, preciso rejeitá-la!
Claro, ser livre não é uma coisa fácil e nem podemos conquista-la com nossa força de vontade. Precisamos pedir a Deus que nos dê liberdade. Talvez doa um pouco, talvez mexa com o orgulho, mas não vamos desistir de busca-la em Jesus.
Muitas vezes eu já tive vontade de pular, mas não o fiz; de dançar, mas fiquei parado. de chorar, mas me contive; de gritar, mas me calei. Deus quer me usar e te usar para evangelizar, curar doentes, ressuscitar gente morta...Contudo, se apagamos o Espírito quando o louvor acaba, se nunca dançamos por termos vergonha e se nunca choramos em voz alta (a menos que a música esteja bem alta pra que ninguém no ouça), quando é que daremos liberdade para o Espírito Santo agir através de nós?

1 Tessalonicenses 5:19 "Não apaguem o Espírito"

sábado, 11 de dezembro de 2010

Jason Upton

A mãe de Jason Upton era uma jovem missionária que queria “salvar o mundo” através da pregação do Evangelho. Eram os anos 70, e ela foi evangelizar um hippie, amante das drogas e da falta de compromisso e responsabilidade. Enquanto o evangelizava, se apaixonou e, vencida pela tentação, teve relações sexuais com ele.
Ficou grávida dessa relação. Buscou o rapaz, mas ele a abandonou. Por ser missionária da igreja, sentiu o peso da cobrança de ser exemplo. As poucas pessoas que souberam do caso a aconselharam abertamente a praticar um aborto, entre eles líderes da igreja! Mas ela decidiu não matar a criança que já vivia em seu ventre. Para manter as aparências, simulou uma viagem de meses a um país distante, como missionária, mas na verdade foi para um lugar seguro até que a criança nascesse.
Nesses meses de solidão, em que era apenas ela e o bebê, a missionária fez roupinhas de crochê. Fez todo o enxoval da criança que já amava, contudo tinha medo de ficar com ela. Orou a Deus, pedindo que aquela criança fosse um salmista, um adorador. Essa oração ela escreveu numa carta, que junto com o enxoval e a criança recém-nascida foi entregue ao setor de adoção dos Estados Unidos. Como a adoção é fechada nos EUA, a mãe não soube o que aconteceu com a criança depois de tê-la entregue.
O menino foi adotado com 3 meses por uma família cristã, que pode lhe proporcionar bons estudos. Desde cedo apresentou talento musical, no que foi incentivado por seus novos pais. Eles não lhe contaram que era adotado, apenas quando ele se tornou adulto soube de parte de sua história. Então resolveu buscar informações junto ao setor de adoção e conhecer sua outra família.
Após um tempo, teve acesso ao seu enxoval e à carta de sua mãe biológica. E constatou que TUDO que ela orou aconteceu!
Então Upton resolveu visitar sua mãe. E descobriu que ela era de uma igreja bem pequena e carismática; que lá havia um lugar de oração, onde ela passava os dias intercedendo. Por 7 anos, antes de Jason Upton abrir o enxoval, ela não sabia quem ele era, mas orava ouvindo os CDs dele. Orando, intercedendo e adorando com a música de seu filho.

Por anos Jason Upton tem inspirado pessoas de todas as idades através de suas músicas e sua entrega a Deus. Há vários vídeos dele no youtube e vale muito a pena dar uma olhada.
Deus abençoe.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O maior no Reino dos Céus

Quem é o maior no Reino dos Céus?

Uma vez, Pedro, discípulo de Jesus, pediu ao próprio Jesus para faze-lo andar sobre o mar. Jesus disse, "Vem". Então Pedro deu seus primeiros passos em cima da água. Logo depois, quando reparou no vento, começou a afundar, pois teve medo. Jesus o salvou e disse, "Homem de pequena fé, por que você duvidou?
Para mim, é como se Deus tivesse dado um ministério para Pedro. Como existe ministérios de dança e teatro, aquele ministério era o de andar sobre as águas. No início, Pedro desejou participar desse ministério, mas sabia que só um milagre de Deus o botaria lá. Mais ou menos como acontece hoje, quando desejamos ver e viver experiências loucas de curas, ressuscitamentos, entre outras. Aí então aconteceu o milagre que Pedro esperava: Jesus o chamou para o ministério! Finalmente andou sobre as águas! Talvez nos seus primeiros passos ele tenha pensado, "Uau, Jesus é poderoso mesmo. Eu , Pedro, andando sobre o mar? Que incrível!". Mas depois, pode ter acontecido com ele o que acontece com muitos cristãos: Se acostumam com o ministério que receberam de Deus. Muitos crentes se esquecem que somente pela graça e para a glória de Deus é que eles trabalham nos variados ministérios que existem. Pedro provavelmente tenha pensado que já tinha experiência suficiente para ficar sobre o mar; ou pensou que estava naquele ministério porque era merecedor. Ele acreditou que podia continuar no ministério pelos seus próprios esforços, mas assim que reparou nas dificuldades (vento), teve medo e não sabia o que fazer. Se ele lembrasse que foi JESUS que o chamou e que foi DEUS que firmou o pé dele na água, é provável que ele não teria afundado. Mas ele se esqueceu. Ele confiou em si mesmo.
É um prazer imenso servir a Deus depois que O recebemos. É tão maravilhoso como Ele impacta muitas pessoas através das nossas vidas. É simplesmente uma escolha Dele: A de nos usar. Mas é fácil ser orgulhoso...
Nós não somos bons e não fazemos o bem. Somos egoístas, cruéis e não há amor em nós. Acho que precisamos aceitar isso para começarmos a caminhada rumo à humildade. Devemos nos lembrar sempre de dar toda à glória para Deus, pois é Ele quem nos capacita.

O maior no Reino do Céus é aquele que é humilde como uma criança.

Não nos esqueçamos disso. Não confiemos em nós mesmos.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Gratidão genuína

Há algum dias atrás meu pai, Angelo, me falou sobre gratidão e eu entendi umas coisas que eu não entendia antes.
Uns dias antes de Deus começar a me ensinar sobre a verdadeira gratidão Ele me libertou da falsa gratidão. Era uma coisa mecânica e não natural. Eu me esforçava para ser o melhor servo possível, pois achava que sem isso Deus ficava desapontado comigo. Ele precisou me mostrar que eu não estava sendo grato a Ele impulsionado pelo amor que recebia, eu estava agradecendo pela minha própria força, para tentar alcançar o amor Dele.
Bem, depois de ter entendido que Deus quer que eu seja livre, depois que parei com meus "rituais" diários e abandonei o medo de desapontar Deus, recomecei do zero. E nesse novo início comecei a aprender sobre ser grato. Não como antes. Não só agradecer para "não ficar devendo" nada para Deus. Mas uma gratidão genuína, verdadeira. Entendi que ser grato não é simplesmente agradecer, mas sim ter um ESPÍRITO de gratidão. Talvez esse Espírito não surja da noite pro dia. Deus precisa trabalhar isso em nós. Mas nós precisamos pedir a Deus que gere em nós um Espírito grato. Acho que aprendi que agradecer pelo que Deus tem feito por nós não é um favor ou uma boa ação que fazemos a Deus. Na verdade, quando temos um Espírito grato somos mais felizes, vemos o Mundo de outra maneira, nos agradamos com o simples e temos os olhos abertos para ver os inúmeros presente de Deus todos os dias. É incrível! O próprio fato de poder ser grato é uma razão para agradecer.
Para terminar, eu acredito que é extremamente importante viver uma vida de santidade, servir a Deus, orar e agradecer impulsionado pelo amor que o próprio Deus tem por nós. Penso que se alguém não sente esse amor deveria pedi-lo a Deus antes de se sacrificar para cumprir as disciplinas Espirituais cristãs. Não sei vocês, mas eu tenho entendido que só sentindo que Deus me ama todos os dias eu seria capaz de suportar ser odiado, não ter direitos ou mesmo agradecer alegremente a Deus, independente da circunstância.

post scriptum: Gente, comentem!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Senegal

ÍNDICE
- O País
- História
- Povos
- Igreja
- Oportunidade Missionária
- Ore
- Informações (valores aproximados)


O País
O Senegal está localizado a oeste do continente africano. É um país de clima subsariano e que tem, basicamente, duas estações: A seca (inverno) e a chuvosa (verão). Na estação seca, de novembro a maio, não chove e a temperatura é mais moderada, com médias na casa dos 20 a 30 graus. Já na estação chuvosa, de junho a outubro, o clima fica úmido e chuvoso; são também os meses mais quentes, com médias de 30 a 40 graus.
A língua oficial é o Francês, porém, entre nativos, também se fala bastante as línguas tribais como Wolof, Fula, Diola e Mandingo. Há várias etnias diferentes no Senegal. A maior parte da população é da etnia Wolof logo após vem os Fulani, Serer, Diola e Mandinga, entre outras. Aproximadamente 96% da população declara seguir a religião Islâmica e 3% a religião Cristã (sendo a maioria deles católico romanos), porém, muitas vezes, tanto os muçulmanos quanto os cristão locais, misturam sua fé com crenças animistas, usando, por exemplo, amuletos de proteção contra espíritos maus e participando de rituais.

Choque Cultural
- Viajar para o Senegal exige um grande número de vacinações e cuidados. A malária está presente em todo o Senegal, com período mais crítico de transmissão na estação chuvosa. Leve medicamentos anti-malária e previna-se com repelente e mosqueteiros nas camas.
Também procure não beber qualquer água. É bom consultar um médico antes de viajar.
- A comida não é muito diversificada. Normalmente come-se arroz e algum acompanhamento que pode ser peixe, frango, porco... Não espere ter ser próprio prato, geralmente todos comem no mesmo prato grande. Esteja pronto para comer sem talheres também.
- Se você for branco, não se ofenda se alguém vier chama-lo de Toubabe . Talvez digam isso para provoca-lo, mas tente mostrar Jesus a eles. E ainda que queiram te ofender sem motivos, haja com humildade para com eles.
.
História
O Senegal é um país marcado por colonizações, dominações, lutas por poder e guerras civis. O Islamismo tornou-se a religião dos povos que vivam na região no século XI, através dos árabes. Após isso, o primeiro país europeu a chegar ao Senegal foi Portugal, em 1443. No século XVI outras nações européias, como Inglaterra, Holanda e França, chegaram a região atraídos pelo lucrativo comércio de ouro, marfim e escravos. Houve muitas lutas, entre os países europeus, pelo controle da região e, no século XVII, a França saiu vitoriosa, tomando posse do comércio de escravos, que enviou vários africanos para o continente Americano até 1815, quando o mercado de escravos finalmente foi proibido.
Na conferência de Berlim, em 1884/85, o continente africano foi dividido entre as grandes potências europeias, deixando a região do Senegal sob domínio da França. Após a I Guerra Mundial, muito senegaleses foram estudar na França. Entre eles estava Léopold Sédar Senghor, o futuro presidente do Senegal. No final dos anos de 1950, Senghor ganhou suporte de Sudão Francês (presente Mali), Alto Volta (presente Burquina Faso) e Daomê (presente Benin) para formar uma união chamada Federação Mali. Em agosto de 1960, nasceu o Senegal, com as atuais fronteiras e com Senghor como primeiro presidente. Senghor liderou o Senegal por 20 anos, até renunciar em 1981 e ser substituído por Abdou Diouf. Em 1982, Senegal e Gâmbia projetaram uma confederação chamada Senegâmbia, porém a Senegâmbia foi dissolvida em 1989 por divergências entre os dois países. Para o Senegal, a união com a Gâmbia provavelmente teria sido benéfica, pois, pelo fato de Gâmbia separar a região norte do Senegal da região sul, surgiu um forte sentimento separatista da parte do sul, que é conhecida como região de Casamance. Os pedidos por independência duraram vários anos, até que em 1989 rebeldes do MFDC (Movimento das Forças Democráticas de Casamance) começou a atacar instalações governamentais.
Em 2000 Diouf perdeu as eleições para Abdoulaye Wade, que é até a presente data, o presidente do Senegal.

História da região de Casamance
O conflito que tem marcado a região pelos últimos anos, originou-se com uma manifestação pela independência, feita na cidade de Ziguinchor, no ano de 1982, na qual o líder do MFDC foi preso. A severa repreensão do governo sobre o sentimento separatista só aumentou a divisão entre norte e sul e o movimento ganhou força. Por toda a década de 90, períodos de guerra civil alternavam com frágeis acordos de cessar-fogo, causando muita destruição e um grande número de mortos, tanto de militares e rebeldes quanto de pessoas inocentes. Os rebeldes perderam a guerra civil, mas até hoje estouram alguns atos de violência por parte deles na região de Casamance, porém não é nada que represente muito perigo para os moradores ou turistas.

Povos
Fulas: O Islamismo foi a religião adotada pelos Fulas no início do século XII, e eles se tornaram um dos grandes responsáveis pela expansão do islamismo na África oeste. Os Fulas também são conhecidos pela cerimônia de iniciação, aonde os jovens meninos são chicoteados com grandes varas, ouvindo o constante e acelerado ritmo dos tambores como parte da cerimônia de passagem para a fase adulta. Nas cerimônias os garotos não podem demonstrar medo em momento algum, ainda que a provação custe algumas cicatrizes, o que normalmente acontece.
Noiva Wolof
Wolof: O povo Wolof tem sua origem no povo Fula. A principal região do povo Wolof é o Senegal, onde eles abrangem cerca de 43% da população. Também vivem na Gambia (16%) e na Mauritânia (7%). O grupo possui uma língua própria que no Senegal é falada por 80% da população. Apesar do Islã ter tido grande influência nas áreas Wolof desde o século XI, algumas crenças tradicionais ainda existem, muitas vezes sendo apenas associadas ao islamismo, como, por exemplo, a crença em que amuletos, contendo versos do Alcorão, pendurados nos braços, pernas e pescoço, os protegerão dos espíritos maus.
Mandingas: Há muitos séculos atrás o povo Mandinga deixou o Mali, que era a sua terra natal, em busca de terras melhores. Eventualmente eles se instalaram na Gâmbia e em países vizinhos. Os mandingas eram animistas, mas os comerciantes que passavam por suas aldeias converteram muitos deles ao islamismo. Atualmente cerca de 99% do povo mandinga se diz muçulmano, porém muitos deles continuam a praticar os seus rituais animistas tradicionais e misturam a religião Islâmica com as crenças tribais. Durante os séculos XVI, XVII e XVIII, cerca de um terço da população mandinga foi embarcada para a América como escravos, após a captura em conflitos.
Diola: O povo Diola tem uma longa história resistindo ao poder estrangeiro em Casamance. No final do século XIX e no início do século XX, as autoridades colonias francesas controlaram suas colonias com chefes locais e, frequentemente, instalavam líderes de outras etnias para administrar os territórios Diola, isso fez aumentar o ressentimento que a colonização já havia provocado. O carácter regionalista dos Diolas é um dos mais fortes, talvez isso explique o sentimento separatista presente na região de Casamance.
Serer: Os Serer, ficam situados no centro do Senegal, principalmente nas províncias de Sine Salum e Diurbel. É um povo com tradições animistas, uma delas, a cerimonia do “pnagal”, na que veneram as almas dos seus ancestrais.

Igreja
Igreja Assembléia de Deus de Ziguinchor
No Senegal aproximadamente 96% da população segue a religião islâmica e apenas 2 a 3% a religião cristã, por isso as igrejas cristãs no Senegal normalmente vivem com problemas financeiros e com a falta de obreiros. Essas igrejas são, em muitos casos, formadas e lideradas por estrangeiros, que tem buscado alcançar os perdidos com trabalhos sociais, evangelismo e na pregação da Palavra de Deus. Apesar do grande número de muçulmanos no país, a pregação do evangelho não é proibida, porém é preciso buscar de Deus estratégias para evangelizar os muçulmanos, para evitar ofende-los, e assim, tornar mais difícil a aceitação a Cristo da parte deles. Muitas igrejas, principalmente fora da capital Dakar, tem passado muitas necessidades, por vezes, sendo conduzidas por apenas 2 ou 3 pessoas. Normalmente as igrejas cristãs localizadas em uma mesma região são razoavelmente unidas, porém isso não apaga a enorme necessidade de ajuda que a igreja senegalesa enfrenta.

Oportunidade Missionária
Em grande parte do Senegal as pessoas vivem em situações precárias, com pouca comida, sem água tratada, em contato com várias doenças... Esta situação, apesar de muito triste, é uma grande oportunidade de levar o Amor de Jesus aos senegaleses.
Vou postar aqui alguns ministérios que existem no Senegal e que precisam muito de ajuda. Se puder, ore por esses missionários e missões citados aqui, mas também faça essa pergunta a você mesmo: “Estou disposto a servir a Deus no Senegal?”. Se a resposta for sim, busque confirmação de Deus. Se ele confirmar, se prepare para ir! Há muitas almas precisando da Verdade no Senegal, se por acaso Deus quer usa-lo para salva-las, por favor, não fuja desse chamado.

JOCUM (Jovens Com Uma Missão)
Turma de ETED (2010)
A base: A base da JOCUM é localizada a mais ou menos 40 minutos de Dakar (de carro). Uma das lideres da base é uma brasileira chamada Clarice. A ETED, normalmente, funciona em francês, porém é possível que alguém traduza para o português. A base não tem água encanada nem luz elétrica. Servem refeições três vezes por dia. Há um valor a ser pago por mês para viver na base e participar das atividades, porém não tenho conhecimento do valor exato. Aconselho que entre em contato com os líderes da base para mais informações.
Missão: O objetivo é alcançar muçulmanos através dos ministérios de misericórdia e do desenvolvimento da comunidade local. O principal foco da base é na área da saúde. Há um posto de saúde dentro da base, em que funcionam alguns atendimentos à comunidade.
Posto de saúde da JOCUM Senegal
Necessidades: A base enfrenta sérios problemas com falta de missionários para trabalhar no posto. Pela falta de algum médico voluntário, a base teve que contratar um médico não cristão para poder manter o posto de saúde aberto. A JOCUM no Senegal também enfrenta dificuldades na questão financeira. A maioria do dinheiro que sustenta a base vem da liderança, pois os africanos raramente conseguem mantenedores. Por isso não há uma mensalidade fixa para eles, pois se houvesse, a base estaria completamente sem obreiros e alunos. O que alguns alunos podem pagar, muitas vezes não cobre nem a comida que eles consomem. Para que a base não feche a liderança tira o dinheiro do próprio bolso.

Contato JOCUM Senegal:
albert_cla@hotmail.com (Lideres da base)
Endereço postal
B.P.5738
Dakar - FANN
Senegal - Africa

SEMADEC (Secretaria de Missões das Assembléias de Deus do Estado do Ceará)
Pastor e missionários na igreja Maranatha
 No Senegal há missionários da SEMADEC em dois lugares diferentes.
Há um casal de brasileiros que mora próximo a Dakar, em uma vila muito pobre. Eles tem um projeto de abrir um centro esportivo na região. O terreno já foi comprado, mas faltam pessoas para ajudar e recursos para a construção. Qualquer tipo de ajuda é bem vinda.
Os missionários trabalham também com uma igreja que implantaram na vila onde vivem. Aquela é a primeira e, até o momento, a única igreja evangélica de lá. Contam com a ajuda de um pastor africano, contudo, ainda assim precisam muito de pessoas dispostas a ajudar.

Há também uma base missionária da SEMADEC no Senegal.
Missionários na base da SEMADEC
A base: A base fica em Bourofaye, no sul do Senegal, próximo a Ziguinchor. Algumas famílias de missionários brasileiros moram em casas dentro da base; em torno de 10 pessoas. Os missionários que lá vivem, assim como os projetos implantados, são sustentados pela SEMADEC. É possível qualquer missionário cristão servir na base, independente da denominação que pertença, porém a SEMADEC não irá se responsabilizar pelo sustento do missionário. A eletricidade da base vem de geradores à gasolina; e a água é retirada de um poço artesiano.
Missão: A base trabalha com uma escolinha para crianças e um posto de saúde para servir as comunidades locais.
Necessidades: A principal necessidade da base é a falta de obreiros dispostos a aprender o francês e a ajudar da forma que for.

Contato SEMADEC Senegal:
fatyziguisn54@hotmail.com
marvyodarley@ig.com.br
missoesprismar@hotmail.com
http://marvyopriscila.wordpress.com/

Missionários em Tambacounda
Ao leste do Senegal fica uma cidade bem pequena chamada Tambacounda. Há um casal de missionários lá que enfrentam muitas necessidades para levar Cristo aos locais.
Nancy é argentina e casada com Tito, um guinense que estudou na Argentina.
Missão: Os dois tem uma pequena igreja ao lado da casa deles, na qual Tito é o pastor. Nos fundos da igreja tem um consultório em que eles atendem as pessoas de Tambacounda. Eles tem um projeto contra a desnutrição, aonde uma vez por semana eles vão em alguma aldeia para dar leite as crianças. Antes desse projeto a mortalidade infantil nesses lugares era muito grande; agora já é um pouco menor, porém ainda assim a maioria das famílias já perderam no mínimo um criança vítima da desnutrição. Havia também um projeto de alfabetização, entretanto este teve de ser paralisado pela falta de recursos.
Necessidades: Ainda que enfrentem muitos problemas pela falta de recursos, a principal necessidade é a falta de obreiros para ajuda-los. Os dois são praticamente os únicos missionários daquela região e sentem muita dificuldade em levar esses projetos sozinhos.

Contato missionários Tambacounda:
nancymariavillagas@yahoo.fr
Tel. (00221) 77 5756607

Abaixo segue o vídeo do casal.

Ore
- Peça a Deus que mande missionários para o Senegal, de preferência dispostos a uma viagem de longo prazo.
- Por todos os missionários que moram e trabalham no Senegal, para que possam ser sustentados por Deus e que, apesar do trabalho cansativo, possam descansar nas mãos de Deus. E também para que o Senhor possa gerar frutos através do trabalho que esses missionários realizam.
- Pelos lideres do Senegal, para que continuem permitindo que cristãos entrem no país e preguem a palavra de Deus.
- Pela região de Casamance, para que a paz de Cristo e a cura de magoas do passado seja total naquela região.
- Contra a mutilação genital feminina, que é uma espécie de ritual representativo da passagem para a vida adulta de uma menina/mulher, sendo prática muito comum na África durante séculos. A prática da MGF pode ser realizada utilizando-se ferramentas básicas, como tesouras, facas, pedaços de vidro ou navalhas, para a mutilação do órgão genital feminino.
O procedimento é feito de forma artesanal, sem nenhum tratamento anestésico e antisséptico, contando ainda com a reação desesperada da vítima, o que pode ocasionar acidentes cuja gravidade ultrapassem a mutilação.


Informações (valores aproximados)
Dados de 2009.
Moeda do Senegal:
Franco CFA.
$1 Euro = $674,1CFA
$1 Dólar = $561,6CFA
Moradia
Aluguel em Dakar (casa simples): $150000 CFA/mês
Eletricidade do governo: $50000CFA/mês
Gerador à gasolina: $200000 CFA
Gasolina: (1Litro) $700 CFA
Geladeira: $250000 CFA
Fogão: $100000 CFA
Gás: (6Kg) $10000 CFA - (12Kg) $20000 CFA
Alimentação:
A cozinha senegalesa tem uma forte influência francesa mas, além disso, também oferece as suas próprias iguarias e pratos que incorporam temperos de várias partes do mundo, principalmente de países africanos e muçulmanos.
Sendo o Senegal um país de pesca, o peixe e o marisco costumam ser excelentes e acabam por ocupar um lugar de destaque na dieta alimentar. Também se come alguma carne, principalmente de cordeiro e aves. Carne de porco nem se encontra, uma vez que a esmagadora maioria do povo senegalês é muçulmano. O arroz, o couscous e os legumes são os acompanhamentos principais. [ extraído do site: http://www.tempodeviajar.com/destinos/africa/senegal ]
Transporte:
7-place: É um carro transformado para transportar 7 passageiros mais o motorista. É muito usado no Senegal para viajar de uma cidade à outra. O preço não é fixo, é preciso combinar o valor. De preferência peça que algum senegalês de confiança combinar o preço para você, pois estrangeiros normalmente acabam pagando valores mais altos. A viajem também não é lá muito confortável. Viagens longas como de Tambacounda para Ziguinchor, ou de Ziguinchor para Dakar ficam em torno de $9000 CFA
Trem: No Senegal, o transporte ferroviário não é confortável e nem seguro para turistas.
Comunicação:
Internet: $150 CFA à hora.
Chip para celular: $1500 CFA

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Ser filho

A religiosidade é muito sutil e cria raízes difíceis de serem arrancadas. Não é bom ser religioso, pois nos tornamos prisioneiros de regras que em nossa mente nos aproximam de Deus.

Recebi Jesus na minha vida há 2 anos e fui liberto da religiosidade. Embora eu tenha frequentado a igreja evangélica na maior parte da minha vida, só então eu entendi o que as pessoas queriam dizer com, "Jesus transformou a minha vida".
Entretanto a religiosidade sempre tenta voltar a influenciar nosso pensar e é preciso estar atento para não aceitá-la de novo. Quantas vezes eu já ouvi gente dizendo para agradecer mais e pedir menos na orações, dizendo que devemos orar ajoelhados, devemos dançar com tal música, pular com tal outra, jejuar, servir, honrar, amar...Não me entendam mal, não que isso tudo seja errado. Errado é acreditar que essa é a razão para Deus se aproximar ou não de nós. Jesus morreu para sermos livres para algum dia ruim só pedirmos na oração, livres para ir dormir sem ter lido a Bíblia naquele dia, LIVRES! Mas se o que te impede de fazer essas coisas é a vergonha, a preguiça ou o medo, Jesus morreu para que você seja livre disso também. Acredito que o melhor conselho que eu posso te dar é: Não busque desesperadamente fazer coisas para Deus, busque desesperadamente conhecer o amor do Pai por ti e o seu papel de filho, que não tem nada a oferecer. A alegria que te libertará para dançar, o amor que te impulsionará a servir e o comprometimento para jejuar virão como consequência do entendimento da profundidade do amor que Deus tem por ti.
Algumas igrejas estão cheias de "pessoas perfeitas" que são louvadas por todos pelas coisas que fazem; oram 15 horas por dia, jejuam 10 dias seguidos, lideram 7 células, conhecem a Bíblia de capa à capa...Confesso que já me esforcei para ser assim, mas depois de um tempo cansei da minha imperfeição e pensei que não quero mais crescer e ser grande, só quero ser filho.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Marrocos

ÍNDICE
- O País
- História
- Povos
- Igreja
- Oportunidade Missionária
- Ore
- Informações (valores aproximados)


O País
O Marrocos está localizado geograficamente no norte da África. Na costa norte se concentra a maior parte da população. Parte da porção sul é ocupada pelo deserto do Saara. As cidades imperiais de Fes, Marrakesh e Meknes, com seus antigos mercados e monumentos árabes, atraem cerca de 3 milhões de visitantes por ano, o que faz do Marrocos um dos países mais visitados da África. A população é cerca de dois terços árabe e um terço berbere, com minorias compostas de franceses e espanhóis. A religião oficial é o islamismo, adotado por quase 99% dos habitantes, a maioria da seita sunita. O idioma oficial é o árabe. O francês também é muito falado, principalmente pela elite; há também a presença de dialetos berberes e o espanhol é usual em algumas regiões, tanto do norte quanto do sul.

Choque Cultural
- Se você for mulher, evite sair sozinha no Marrocos. Alguns homens marroquinos mechem bastante com as mulheres, principalmente com as estrangeiras.
- Na hora de comprar alguma coisa procure se informar sobre o preço justo do produto com alguém confiável. O Marrocos é um país turístico e estrangeiros normalmente perdem muito dinheiro com lembrancinhas. Esteja disposto a negociar o preço, pois lá a maioria dos negócios se faz negociando o valor.
- Tenha cuidado com o forte preconceito contra negros que há no Marrocos
- Cuidado com quem você conversa. Muitos marroquinos se aproximam parecendo amigáveis, mas só estão interessados no seu dinheiro.
.
História
O atual território marroquino foi objeto de várias batalhas entre as antigas tribos da região e diversos impérios mundiais. Os árabes invadiram o Marrocos em 682, guerreiros berberes eventualmente expulsaram os árabes, mas decidiram manter o islamismo como religião. No ano 711 os berberes dominaram não só o Marrocos, mas também a região sul da Península Ibérica, até o final do século XII. A reconquista cristã da península ibérica terminou em 1492. O poder político da região permaneceu sob o domínio do islã desde a ocupação árabe até o século XV, quando os europeus começaram a invadir a região tornando o Marrocos uma nação marcada pelo derramamento de sangue dos que tentaram defender o país das colonizações. Portugueses, espanhóis e franceses travaram uma disputa armada pelo controle do país, que acabou dividido entre a França e a Espanha.
Rei Mohamed VI
Após a II Guerra Mundial, nacionalistas iniciaram um movimento pela independência do país. A França rejeitou essa tentativa até 1956, quando ela e Espanha acabaram por reconhecer a independência do Marrocos. Mohamed V foi o primeiro rei do Marrocos e, após a sua morte em 1961, o jovem Hassan II, herdeiro do trono, se tornou rei e transformou o país em uma Monarquia constitucional; Hassan II morreu em 1999 e quem assumiu o reinado foi seu filho, Mohamed VI, que é o rei do Marrocos atualmente.

Povos
Berberes: Eles vivem nas regiões montanhosas ao longo do Marrocos e Argélia, são em torno de 18 a 20 milhões e falam aproximadamente 33 línguas diferentes. Eles se consideram os descendentes dos habitantes originais do norte da África. Há uma evidência histórica de que os berberes eram judeus e cristãos no período do Império Romano, mas a invasão árabe resultou na conversão do povo berbere para o islamismo. Os berberes normalmente são muito hospitaleiros; é muito normal um berbere marroquino convidar um estrangeiro qualquer para tomar chá em sua casa ou tenda. [Revista Amém, n°12, 2° semestre/2003]
Árabes: Nas tradições islâmica e judia, os árabes são um povo que tem sua ascendência de Ismael, um dos filhos do patriarca Abraão. Durante o período de conquistas, os árabes ampliaram seu conhecimento através da absorção das culturas de outros povos, levando-as adiante a cada nova conquista. Entre os países conquistados pelos Império Árabe estava o Marrocos, e, apesar do Império ter perdido a força, os árabes permaneceram na região e ainda hoje aproximadamente 70% da população marroquina é de descendência árabe.
Estudantes estrangeiros: No Marrocos é possível encontrar muitos estrangeiros de vários países da África, como Guiné-Bissau, Madagascar, Costa do Marfim e muitos outros. Isto acontece pois o Marrocos, em relação a outros países da África, tem boas universidades, e os estudantes vindos de outros países africanos, buscam no Marrocos a oportunidade de cursar uma boa faculdade e conseguir mudar a realidade deles mesmos, da sua família e do seu país.


Igreja
Cerca de 95% dos cristãos no Marrocos são estrangeiros. As únicas igrejas cristãs no Marrocos são a igreja católica e a protestante. Normalmente a igreja protestante é dividida em dois cultos: um em inglês, onde a maioria dos frequentadores são europeus ou norte americanos; e outro em francês, onde a maioria dos membros são estudantes universitários de outros países da África. Devido as leis do país a igreja não pode trabalhar com evangelismo. Não se sabe ao certo o número de ex-muçulmanos marroquinos, pois muitos temem tornar pública sua nova fé. A lei marroquina proíbe que marroquinos se convertam ao cristianismo ou frequentem reuniões cristãs.
O país estava se tornando mais aberto ao cristianismo do que no passado. Porém nos primeiros meses de 2010 o país voltou a se tornar cada vez mais fechado. Somente na primeira metade de 2010 mais de 150 estrangeiros que moravam no país foram expulsos ou deportados repentinamente. O governo marroquino fez uma declaração pública de que essas pessoas eram culpadas de tentar converter os marroquinos a outra religião diferente do islamismo.



Oportunidade Missionária
Pelo fato do Marrocos ser relativamente fechado ao Evangelho, a presença de ministérios de ajuda social cristãos no país é praticamente zero. Muitos missionários trabalham por conta própria. A grande estratégia para o evangelismo dos muçulmanos é o relacionamento, por isso é muito difícil que um missionário consiga algum resultado em pouco tempo, a recomendação é que, missionários que pretendem trabalhar em países muçulmanos, como o Marrocos, tenham a disposição de ficar a longo prazo, pois o muçulmano normalmente só dará ouvidos ao Evangelho depois de ter fortes laços pessoais com quem estiver anunciando.
As oportunidades de trabalhos sociais podem ser na área da saúde, esporte, educação ou onde o próprio Espírito te direcionar. Os marroquinos são apaixonados pelo futebol, neste caso o cargo de treinador torna-se uma oportunidade para criar laços relacionais com eles; há também muitos casos de crianças abandonadas pelos pais, o que faz da criação de um orfanato outra estratégia para alcançar o povo marroquino.
Para receber o acompanhamento e ajuda de outros cristão em Marrocos, há presença de uma igreja protestante em aproximadamente 10 cidades diferentes.
Para maiores informações sobre oportunidades de ministérios no Marrocos, escreva-me através do email dudu.carniel@hotmail.com.


Ore
- Contra a perseguição que os marroquinos que aceitam Jesus sofrem do governo e da própria família. Muitos acabam não aceitando ou negando que O aceitaram por medo da rejeição que sofrerão pela sociedade. O marroquino que não abrir mão do Cristianismo acaba, em vários casos, sendo expulsos do lar e rejeitado pela própria família, além de também correr o risco de ser punido pelo governo marroquino.
- Pelo rei e governantes do Marrocos, para que permitam que o Marrocos se torne um país mais aberto ao evangelho.
- Pelos missionários que vivem no Marrocos, para que Deus mande estratégias de evangelismo, e para que através deles Jesus possa ser apresentado e aceito pelas pessoas de lá.
- Contra o preconceito racial no Marrocos. A grande maioria dos estudantes estrangeiros são de pele negra e por isso sofrem duro preconceito da sociedade marroquina, sendo insultados, humilhados e, por vezes, os jovens estudantes chegam a levar pedradas nas ruas.


Informações (valores aproximados)
Dados de 2009.
Moeda do Marrocos:
Dirham (DH).
$1 Euro = $11,16 DH
$1 Dólar = $7,46 DH
Moradia
Hotel quarto individual com banheiro e ducha - $80 Dirhams.
Hotel quarto duplo com banheiro e ducha - $130 Dirhams.
Alimentação:
Café da manhã: $15 Dirhams.
Almoço: $40 Dirhams.
Janta: $35 Dirhams.
Água mineral: (1,5L) $7 Dirhams; (5L) $12 Dirhams.
Café (xícara): $10 Dirhams.
Refrigerante: $7 Dirhams.
Pão tipo baguete: $3 Dirhams.
Transporte:
Trem: É umas das melhores opções de viagem dentro do Marrocos, o preço não é muito caro, é um transporte rápido, seguro e confortável. Há várias linhas que ligam o norte com o sul e o leste com o oeste, mas, dependendo do trajeto, nem sempre é possível fazê-lo de trem. A seguir o link do site da única companhia de trem do Marrocos. (http://www.oncf.ma/)
Táxi: Tarifa mínima $7 Dirhams; taxímetro roda em $7 Dirhams por km.
Ônibus: Uma das únicas companhias de viação seguras no Marrocos é a CTM (http://www.ctm.ma/), mas é também a mais cara delas. Há várias outras companhias de viação no Marrocos, é possível encontrar uma porção delas nas rodoviárias, porém nem todas são seguras e confortáveis. Comprando em companhias mais baratas a compra da passagem não inclui a bagagem, isto é, você terá que negociar o preço da sua passagem separadamente do preço de embarque da sua bagagem.
Comunicação:
Internet: $7 Dirhams à hora
Chip para celular: $50 Dirhams

Mais informações podem ser encontradas no site: http://marrocos.wordpress.com/

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Só querer, não é poder

Quem é que nunca quis agradar a Deus, depois de tê-Lo recebido em sua vida? O próprio amor Dele nos impulsiona a obedecer e a querer fazê-Lo sorrir com a nossa vida. Porém, em nossa vontade impulsiva de fazer a vontade de Deus, as vezes acabamos pegando o caminho errado. Fazer a vontade de Deus não é errado; acredito que muitas vezes vacilamos no COMO é que tentamos faze-la.

Há cristãos que realmente desejam agradar a Deus, mas não conseguem. Se sentem fracos para orar, tímidos para testemunhar, incapazes para aconselhar... Afinal, se sabemos que Jesus nos disse para pregar a TODOS, por que quando alguém senta do nosso lado no ônibus não conseguimos falar que Deus o ama? Por que, mesmo sabendo que alguns de nossos colegas de faculdade, trabalho ou colégio, não conhecem A Verdade, não temos capacidade de mostrar-lhes o caminho certo? Talvez porque estamos dependendo dos nossos próprios dons para obedece-Lo. Precisamos do Espírito Santo não apenas para entender a vontade de Deus para as nossas vidas, mas também para pô-las em prática. O apóstolo Paulo uma vez disse: "O querer o bem está em mim, não, porém, o efetua-lo". Além disso, por causa do nosso orgulho de querer impressionar Deus, nos decepcionamos por ficarmos tensos, nervosos e não conseguirmos sermos "usados por Ele" na vida de outras pessoas.
Eu tenho entendido que o Espírito Santo não está procurando pessoas "espertas", mas sim, pessoas dóceis à Sua orientação. Penso que a vontade de Deus é que testemunhemos Dele, mas não nos cabe forçar a conversa com alguém. Precisamos estar sempre dispostos a obedecer e orarmos constantemente: "Senhor, aqui estão os meus lábios; se quiser usá-los para compartilhar Cristo com esta pessoa, estou disposto."

"O Deus da paz, [...] os aperfeiçoe em todo o bem para fazerem a vontade dele, e opere em nós o que lhe é agradável, mediante Jesus Cristo [...]"
Hebreus 13:20-21

Acredito que Deus se alegra muito em ver Seus filhos desejando agradá-Lo. No entanto, nós, filhos, devemos entender que precisamos dEle para isso.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A Paz que excede todo entendimento. Entende?


“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e MANSIDÃO, com a longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” Efésios 4:1-2



Meu Deus, como esses versos são difíceis de serem postos em prática se nós refletirmos neles. Será que realmente temos andado com toda a mansidão? Será que sabemos o que é ser manso? Quantas vezes durante o dia nós não perdemos a paciência com pequenas coisas? As vezes por alguma coisa que alguém falou, por algo que a gente pensou ou mesmo por uma circunstância que passamos.
Faz algum tempo que eu percebi que, por toda a minha vida, eu magoei, machuquei e entristeci pessoas por causa de momentos diários em que perdia a paciência. Hoje eu penso que esse assunto de perder a paciência com coisas pequenas, e até com coisas grandes, nada mais é do que falta de mansidão. Mas então, como podemos nos tornar verdadeiramente mansos?
Eu acredito que pelo nosso próprio esforço é impossível vivermos com uma sincera paz e amor dentro de nós. Talvez você, como eu, seja daquele tipo de pessoa que “leva desaforo pra casa” para tentar se manter em paz, sem discutir ou ser grosseiro com ninguém; mas dentro de ti há uma guerra violenta, cheia de ódio e rancor. Eu sei bem como é, pois, apesar de ter me tocado disso em minha vida só a alguns meses atrás, hoje eu vejo que por toda a minha vida eu fui uma pessoa sem mansidão. Antes eu pensava que fazia parte da minha personalidade, mas descobri que o Evangelho fala para sermos mansos; e se eu realmente acredito que o Evangelho é verdadeiro, então devo renunciar até o que eu pensava ser a minha personalidade...doa o que doer!

Jesus fala em Mateus 11:29 para aprendermos com Ele, que é manso e humilde de coração, e aí encontraremos descanso para as nossas almas. Creio que o único caminho para alcançar a mansidão, independente das circunstâncias, é entregando nossos sentimentos e nosso senso de justiça para Deus, e deixar que Ele tome conta dessa área da nossa vida para nós, para que a paz que há em nós não seja a nossa, que se vai com a primeira injustiça que acontece conosco, mas sim, a Paz de Deus, que excede todo o entendimento! Isso quer dizer que poderemos passar por momentos tristes, estressantes, tensos, chatos e constrangedores e ainda assim continuar com a Verdadeira Paz dentro de nós, voando muito acima dos nossos problemas.

“Ora, o Senhor da paz, Ele mesmo, vos dê continuamente a paz em TODAS as circunstâncias.” 2 Tessalonicenses 3:16

Que Deus seja louvado nas nossas vidas. Amém.

Post scriptum: Criticando ou elogiando, seu comentário é sempre muito importante.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Livres da Perfeição


Das várias formas que o diabo pode nos enganar, na minha opinião, o perfeccionismo é uma das mais sutís. Normalmente quando as pessoas aceitam a Jesus e recebem o Seu Espírito, começam então uma difícil busca por santidade. No começo qualquer acerto já é muito gratificante, mas depois de uma certa caminhada com Jesus, as decisões certas se tornam mais frequêntes e parece que muitas pessoas perdem a noção que somente a Graça de Deus é que os mantem de pé. Buscar a santidade não é errado, o erro está em tentar conquista-la com a própria força. O que acontece é que, sem a Graça, essas pessoas caem e se decepcionam com elas mesmas por pensarem que poderiam ter feito algo para evitar a queda. Aí está o problema, pensar que poderia ser capaz de se manter em pé é orgulho! E o orgulho gera o perfeccionismo. E aí vem mais um engano. Por se esforçarem tanto em acertar, quando erram, essas pessoas não conseguem se perdoar; e são então enganadas, pensando que Deus está decepcionado pelo erro delas. Por esse motivo já não conseguem sentir a Presença de Deus, pois quando tentam busca-La só conseguem pedir perdão e “chorar pelo leite derramado”.
Ok, vamos a solução do problema. A primeira coisa que deve ser feita é arrepender-se do orgulho de tentar ser santo com o próprio esforço. Santidade não é algo conquistado, mas sim RECEBIDO de Deus. Só Ele pode nos tornar santos. Depois de confessar o orgulho e, verdadeiramente, arrepender-se dele, é preciso aceitar as verdades de Deus para a minha e para a sua vida. Deus NUNCA irá te cobrar aquilo que você não pode fazer. Ele esquece definitivamente os seus erros a partir do momento em que você se arrepender deles. Ele NÃO ESTÁ decepcionado contigo. Deus se alegra MUITO quando você O busca, mesmo que você tenha ficado muito tempo sem busca-Lo. O que eu quero dizer é que Deus não olha para as suas falhas, Ele não se preocupa com o que você fez de errado e jamais te rejeita, mesmo se por acaso você O tenha rejeitado. Como um pai que ama o filho apesar das suas limitações, assim Deus nos ama e não se ofende conosco.
Com relação a isso tudo, uma música tem falado muito comigo nesses últimos dias;e eu termino agora com um trecho da tradução dela:

“Meu filho, Meu filho, porque você está se esforçando?
Você não pode acrescentar nada ao que foi feito para você.
Eu fiz tudo enquanto Eu estava morrendo.
Descanse em sua fé, a Minha Paz virá sobre você.

Pois quando Eu começo a ouvir os louvores,
Eu desejo chover sobre você
Bençãos que encherão seu coração.
Eu não vejo sujeira nenhuma em você,
Porque você é Meu filho e você Me conhece,
Para Mim você é SÓ SANTO,
Nada do que você fez importa,
Só o que você faz por Mim.”


When I hear the praises start - Keith Green

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Jesus está contigo


Se alguém disser em uma reunião com pessoas cristãs, “Jesus está aqui!”, não é difícil imaginar que todos irão concordar prontamente. Mas será que TODOS os cristãos realmente acreditam nisso? Será que todos entendem realmente o que significa SABER que Jesus está aqui?
Desde que eu voltei da África eu vinha tendo alguns problemas comigo mesmo. Ter ficado seis meses longe da minha família, com pessoas e culturas estranhas para mim não foi muito fácil. A viagem missionária que eu fiz foi ótima, eu vi muitos milagres de Deus em vários momentos, mas também tiveram várias circunstâncias difíceis da viagem, e nessas horas eu me sentia assustadoramente SOZINHO. Eu poderia até falar a mim mesmo, “Jesus está comigo e tudo dará certo”, mas por mais que a minha boca falasse não era o que eu sentia naqueles momentos. Quando retornei ao Brasil eu me sentia como um soldado que volta de uma guerra, ferido e traumatizado. Por mais que eu tentasse esquecer as dores e lembrar-me apenas das coisas boas eu não conseguia. Eu tentei não parecer ingrato com Deus e não quis reclamar das magoas que eu sentia, sabendo que Ele tinha me dado tantos motivos para agradece-Lo. Mas parece que quanto mais eu tentava esconder a minha dor, maior ela ficava. Bem, foi então que veio a cura. Compartilhei com algumas pessoas sobre isso e quando oramos eu pude entender coisas na minha vida que antes eu não entendia, coisas que antes não me doíam. Entendi que O PROBLEMA estava em mim, não nos problemas que eu enfrentei na viagem. Eu não estava crendo realmente que Jesus estava comigo, eu pensava que acreditava, era tão normal ouvir dizer que Jesus estava conosco, mas eu não O via perto de mim. Lembro-me de, quando conversava sobre os momentos tensos da viagem, falarem para mim para que eu perguntasse a Jesus aonde Ele estava em minha vida; e quando eu perguntei INCRÍVELMENTE Ele me permitiu vê-Lo com as mão nos meus ombros em todos os momentos de magoa profunda que eu passei, em todos os momentos que pessoas ou circunstâncias me decepcionavam ELE ESTAVA POR PERTO! Não há como descrever o imenso peso que saiu das minhas costas.
Nossas vidas são sempre cheias de frustrações, decepções, magoas e tudo mais. Mas se nós REALMENTE vermos Jesus perto de nós, nunca nos sentiremos sozinhos, porque, na verdade, nós não estamos! Ele nunca nos abandona!! O problema é quando nós não conseguimos perceber que Ele está conosco, nos sentimos sozinhos e desprezados. Mas gente querida, Ele NUNCA nos despreza, NUNCA nos abandona e NUNCA nos deixará. Ele nos AMA quando erramos, quando acertamos e nos AMA mesmo quando nós não sentimos o amor Dele.
TODOS nós temos momentos difíceis na vida, se por acaso você que está lendo ainda se machuca e não consegue se livrar das magoas do dia-a-dia, peça para Jesus te mostrar aonde Ele esta em sua vida, clame, converse com alguém de confiança, busque vê-Lo perto de ti.
Antes eu conhecia Jesus só de ouvir falar, mas agora eu REALMENTE O vejo. E por Ele não ter filhos preferidos, Ele pode e QUER fazer o mesmo em sua vida!

Creia, Jesus está contigo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...